Assistimos: O escaravelho do Diabo.


O Escaravelho do Diabo é uma adaptação do livro infanto-juvenil de Lucia Machado de Almeida. Toda a minha adolescência estive dentro do setor infanto-juvenil da BPE (Biblioteca Pública de Pernambuco), localizada no centro da minha cidade. Lá tinha umas almofadas aconchegantes e inúmeras estantes cheias de livros, comecei a ler pelos livros do Pedro Bandeira e quando finalizei todos os que tinham naquelas estantes pulei para os da coleção Vaga-Lume, uma coleção de livros cheia de suspense e muita aventura. Aos 13 para 14 anos me deparei com O Escaravelho do diabo, livro que li em um dia e adorei. Não imaginava que hoje aos 23 (quase 24) anos me depararia com uma versão cinematográfica do livro que tanto gostei na adolescência. 


A história se passa em uma cidadezinha no interior chamada Vale das flores, uma região marcada pela quantidade de pessoas ruivas, o número é gritante, maior que qualquer outra cidade. 


O filme fala sobre um garoto chamado Alberto Maltese, ele é uma criança hiperativa, que vive com seu  iPad, leva bronca da mãe por sempre estar fazendo várias coisas ao mesmo tempo. Alberto idolatra o irmão, Hugo Maltese, que mais parece um bad boy dos anos 60, com seus casacos de couro e sua moto. O jovem é o primeiro a morrer na trama com uma espada cravada em seu seu peito. O detalhe que chama a atenção é que antes de morrer ele recebe uma caixa com um escaravelho dentro. Logo outra vítima aparece morta, após receber uma caixa parecida. 


O delegado Pimentel é acionado para cuidar dos crimes, Alberto que é muito curioso começa a descobrir pistas e passa a ajudar o delegado a decifrar os crimes, que crescem a cada dia, o assassino em série escolhe suas vítimas com uma característica peculiar: SÃO TODAS PESSOAS RUIVAS LEGÍTIMAS. Ele sai atacando pessoas famosas e pessoas alheias, e todas as pessoas antes de morrer são avisadas com o escaravelho.


Toda a trama é muito comovente e reveladora a cada minuto. O filme me deixou muito feliz, primeiro por ser um filme brasileiro de qualidade, segundo por ser adaptação de um livro que li na adolescência, terceiro por ter um enredo muito bom que nos prende, dando pistas de algo maior.

Ficou interessado no filme?
Corre lá, ainda está nos cinemas!!