Tecnologia do Blogger.

Resenha:Fangirl!



Peguei esse livro na biblioteca do meu trabalho,confesso,porque achei a capa super fofinha.Mas no final 

acabei me surpreendendo e curti a história. Então hoje resolvi falar um pouco dela aqui pra vocês.

O livro conta a história de Cather (caham, CATH!), que acabou de entrar na Universidade e não conhece

 absolutamente ninguém por lá… quer dizer, quase ninguém, já que ela e Wren, sua irmã gêmea, foram

 estudar no mesmo lugar. Mas Wren decidiu que não é porque elas são gêmeas que estão juntas pelo quadril

 e a irmã quer novas aventuras. Cath não. Cath ODEIA mudanças e coisas novas. Ela não quer sair para 

festas ou fazer coisas que as pessoas “devem” fazer numa faculdade, tipo beber muito.


Ao invés disso, ela sonha em ficar presa em uma biblioteca durante a noite e quer ficar no dormitório 

escrevendo fanfic. Não qualquer fanfic: Cath é Magicath, uma autora MUITO famosa por histórias com

 Simon e Baz , da famosa série de livros Simon Snow (lembra Harry Potter mesmo). Pra ela é mais fácil 

escapar pra esse mundo de ficção que lidar com os vários problemas do dia a dia, como por exemplo, o 

pai que ficou sozinho e com alguns problemas sem a companhia das filhas ou lidar com a ausência da mãe,

 que abandonou a família ou ainda com a irmã, que parece outra pessoa desde que entrou na faculdade.


. A Cath está em uma aula avançada que ela pediu pra entrar sobre Fiction Writing e é muito interessante 

ver como ela tem facilidade para escrever as fanfics, mas ela não consegue desenvolver sua própria história,

 o seu mundo. Dá pra ter uma noção do universo de Simon Snow também, já que os capítulos começam 

com um trecho da história ou com um trecho de uma das fanfics de Cath – dá pra tentar decifrar um 

pouquinho do que vai acontecer em cada um por causa desses trechos.


Se você já leu algum livro da Rainbow, você vai perceber que com Fangirl não é diferente e que, por 

exemplo, cada toque tem muita importância, o que é muito legal, porque deixa tudo um pouco mais visual. E 
eu gosto muito do jeito que ela escreve como se fosse poesia, sabe? Não com rimas e tal, mas é tudo tão 

lírico e lindo e ai são tantos feelings e eu não consigo lidar. É muito interessante também o tanto que as 

personagens dela não são caricaturas… elas são bem realistas, dá pra sentir de tudo um pouco lendo o

 livro. Eu não vou ficar contando o que acontece, mas eu me identifiquei muito – com a parte da Cath fã e 

da Cath-não-se-encaixa.As personagens secundárias não ficam pra trás e são igualmente incríveis. Um

 destaque para o Levi com os sorrisos que melhoraram o meu dia ruim e me deixaram apaixonada, o que é

 uma maldade tremenda, porque eu não tenho talento pra continuar a história dele na minha cabeça! Mas, 

sem spoilers demais, certo?



Fonte: Nem um pouco épico.





Comente com o Facebook: