Tecnologia do Blogger.

O que ando escutando:Dua Lipa!



Estava eu atrás de músicas novas para minha playlist e dei de cara com essa guria.Só a conhecia de

nome e de comentários da galera.Com um pop eletrônico e letras críticas,sim,ela conseguiu me 

conquistar.Achei bem diferente das cantoras pop atuais.

A cantora inglesa de origem albanesa,começou sua carreira aos 14 anos, quando ela começou a fazer 

covers de músicas de artistas como Christina Aguilera e Nelly Furtado no YouTube.


 Em 2015, ela assinou com a Warner Bros. Records e lançou seu primeiro single, "New Love"

Em dezembro de 2016, um documentário sobre Lipa foi encomendado pela revista The Fader

intitulado See in Blue. Em janeiro de 2017 ela ganhou o prêmio de escolha pública EBBA. 

Seu álbum de estreia autointitulado Dua Lipa foi lançado no dia 2 de junho de 2017.


Dua cita Nelly Furtado e P!nk como primeiras inspirações para seu amor pela música pop. 

“Eu sempre fui uma grande fã de música pop. O primeiro álbum que eu ganhei quando eu era bem jovem foi Whoa, Nelly!, da Nelly Furtado, e depois disso eu também ganhei o Missundaztood da P!nk. Foi quando eu falei ‘Ai meu Deus, eu quero ser exatamente como elas!’ Eu amo o jeito que a P!nk cultivou sua carreira. Eu a admiro muito. Eu sinto que o que quer que elas façam ou lancem eu vou ser fã. Eu sempre vou ouvir. Eu acho que é porque eu as amei quando eu era bem jovem e isso deixou uma marca de tal forma que realmente me inspirou no que eu faço agora.”


Mesmo a cantora falando que faz uma linha mais 'Dark Pop'.Apesar de as músicas e letras terem um tom

mais alegre.Suas melodias otimistas são intercaladas com fortes batidas EDM e tropical-house. 

Assim como “New Rules”, “Begging” garante que as melodias otimistas continuem aparecendo. 

Uma balada dance-pop e R&B que aparece antes da última faixa, intitulada “Homesick”

Essa canção é uma bela colaboração com Chris Martin do Coldplay. Uma balada de piano crua e linda, 

com um tema universal e facilmente relacionável. Martin serve como apoio vocal e dá espaço para 

Dua Lipa realmente brilhar. Ao longo de doze faixas, o álbum mostra a força mais fundamental ,ou seja, 

a singularidade de sua voz. Tudo se resume ao modo como o seu tom rouco se move através dos 

instrumentais. E ter um timbre tão distinto não impede que ela tenha um alcance musical considerável.Dua  

consegue ser bastante consistente e, para um álbum composto de singles de quase dois, 

é surpreendentemente coeso. Em todas as faixas,entrega um som pop consistente e prova que existe uma 

razão pela qual ela recebe tantos elogios. Com as suas próprias músicas, a maioria das quais co-escreveu, 

ela é agora uma cantora/compositora por seu próprio direito.






Comente com o Facebook: