Tecnologia do Blogger.

Zendaya é capa da revista Marie Claire,e fala sobre como é ser uma atriz negra em Hollywood



A cantora e atriz que está no elenco de Homem-Aranha: De Volta ao Lar está na capa da edição de setembro da revistaamericana Marie Claire, e fala sobre diversos tópicos, incluindo sobre ser uma das poucas atrizes negras em Hollywood e como não vai deixar que isso a impeça de nada.

As fotos foram feitas pelo fotógrafo Thomas Whiteside, e ficaram incríveis!!


Na entrevista, feita pela ativista trans Janet Mock, Z se abriu sobre o racismo velado de Hollywood.
“O que meus colegas brancos seriam capazes de fazer neste momento em sua carreira não é algo que eu possa fazer. Isso é a verdade, e você terá medo de cometer erros porque eu amo o que faço. Eu não quero arriscar isso a qualquer momento porque não posso deixar a sala bagunçar. ”
Apesar dessas disparidades, isso não impede que Zendaya vá atrás de papeis que não foram escritos para atrizes negras. Ela até diz à sua equipe para não deixar que os roteiros definam para quais  papéis ela fará o teste.

“Eu sempre digo ao meu empresário: ‘Sempre que disserem que estão procurando por garotas brancas, me mande para a audição. Deixe-me entrar no quarto. Talvez eles mudem de ideia'”.

“No começo eu pensei que teria que fazer, porque você está acostumado com a noção de que, Ok, mesmo que o personagem seja fictício e possa ser qualquer um, eles provavelmente seguirão o padrão do que eles querem e o que eles sempre tiveram, eu definitivamente entendi como: ‘Espero que eles diversifiquem as personagens – como eles chamam na indústria – ‘tornar étnico’. Lembro de tomar a decisão de alisar meu cabelo. Eu não sabia que eles seriam mais diversos na escolha do elenco deles. Eu não sabia que estava entrando em uma situação em que eles já estavam quebrando as regras. Você fica tão acostumado a ter que quebrar as regras para as pessoas.”
        Ela também disse:

“Como uma mulher negra, como uma mulher negra de pele clara, é importante que eu esteja usando meu privilégio, minha plataforma, para mostrar a você o quanto de beleza existe na comunidade afro-americana. Eu sou a versão aceitável de uma garota negra de Hollywood, e isso precisa mudar. Nós somos muito bonitas e interessantes demais para que eu seja a única representação disso. O que estou dizendo é sobre como criar essas oportunidades. Às vezes você tem que criar esses caminhos. E isso é com qualquer coisa: Hollywood, arte, qualquer coisa.”




Comente com o Facebook: